O arrebatamento da Igreja

I Tessalonicenses 4:13-18 (ARC)

13 Não quero, porém, irmãos, que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais, que não têm esperança.
14 Porque, se cremos que Jesus morreu e ressuscitou, assim também aos que em Jesus dormem Deus os tornará a trazer com ele.
15 Dizemo-vos, pois, isto pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem.
16 Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro;
17 depois, nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor.
18 Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.

O arrebatamento da Igreja é o cumprimento da promessa que o Senhor Jesus fez. Esse processo se dará quando os santos de todas as épocas desde Adão forem recolhidos da terra através do rapto (sequestro) e irão morar com o seu Senhor por toda a eternidade nos céus.

João 14:1-3

1 Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim.
2 Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar.
3 E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também.

OS SINAIS DA VOLTA DE CRISTO

Para entendermos os sinais da volta de Cristo, precisamos refletir sobre alguns textos bíblicos. Entre muitos, destaco dois que estão em Lucas 17:22-36 e 21:29-33 e outros dois em 1 Timóteo 4:1-5 e 2 Timóteo 3:1-5.

a) Lucas 17:22-36 – Vê-se aqui que a maioria das pessoas não estarão preocupadas com o arrebatamento, como as virgens loucas que estarão dormindo em sono profundo (Rm 13:11) e também por se multiplicar a iniquidade o amor de muitos esfriarão (Mt 24:1). Outros duvidarão que o arrebatamento um dia possa acontecer (2 Pe 3:3-4). Até mesmo entre os crentes de hoje vemos pouquíssimos preocupados com o arrebatamento, pois nunca nasceram de novo, nunca entenderam a fé que dizem professar. Hoje, os templos se tornaram um ponto de encontro em que podemos rever os amigos nas noites de domingo, cantar, tocar e se divertir. Para muitos a Igreja não passa de um clube social, um local de entretenimento com carteirinha. Muitos se preocupam demais com carro, casa, empresa e celular, esquecendo-se de que para onde iremos nada levaremos (Mt 6:20) e que não podemos servir a Deus e as riquezas ao mesmo tempo (Mt 6:24 / 1 Coríntios 15:19 “Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens”).

b) Na parábola de Lucas 21:29-33, observamos vários detalhes preciosos que são: (1) olhai para a figueira e para todas as árvores (21:29). Olhar é observar o que acontece no mundo geopolítico. Muitos crentes não leem e nem assistem telejornais, vivendo alienados quanto aos sinais do cumprimento das profecias bíblicas. Note que Daniel sabia que já o tempo do fim do cativeiro se aproximava (Dn 9:1-3); (2) A figueira representa o Estado de Israel. Como fiéis que aguardam o cumprimento da promessa da volta de Cristo, não podemos ignorar o que acontece com Israel; (3) As demais árvores representam todas as nações gentílicas do mundo.

c) “Quando já começam a brotar, vós sabeis por vós mesmos, vendo-as, que perto está já o verão” (Lc 21:30). (1) brotar refere-se a florescer. Antes de um fruto aparecer, primeiro a árvore produz uma flor e desta flor nasce o fruto. Israel estava sem solo pátrio há quase dois mil anos e milagrosamente ressurgiu novamente como nação em 1948 em um dia. A figueira brotou!; (2) Se a figueira brotou, significa que o verão, a colheita, o arrebatamento, o reino Milenial estão próximos.

d) “Em verdade vos digo que não passará esta geração até que tudo aconteça” (Lc 21:32). (1) Quando Jesus se referiu a “geração”, se referiu as pessoas que viram o Estado de Israel nascer, ou que nasceram junto com Israel em 1948. Não passarão, não se extinguirão sem que presencie o arrebatamento da Igreja. É senso comum que uma geração se refere a um período de cem anos (pode ser mais ou menos, pois não dá para precisar); (2) “Tudo aconteça”, representa o arrebatamento da Igreja e a chegada da grande tribulação e todo o seu desenrolar.

e) Leia estas referencias: 1 Tm 4:1-5; 2 Tm 3:1-5 e 2 Pe 2:13. Um dos maiores sinais da volta de Cristo é a apostasia dos últimos dias. Aparecerão homens amantes de si mesmos, orgulhosos, mais amantes dos deleites do que de Deus, avarentos, fazendo negócio do povo de Deus. Quem de nós ainda não ouviu a expressão “mercado evangélico”? Igrejas ricas, poderosas financeiramente, mas sem a unção de Deus. O tempo em que vivemos não se assemelha com a Igreja de Laodicéia (Ap 3:17)? Estamos na última hora (1 Jo 2:18a).

Obs: É importante observar que os sinais que Jesus deu como referencia aos fariseus se referem ao estabelecimento do Reino de Deus na Terra, ou seja do reino Milenial regido pelo Messias e não do arrebatamento em si da Igreja. Observe: “E, interrogado pelos fariseus sobre quando havia de vir o Reino de Deus…” (Lucas 17:20). Se a interpretação estiver correta de que a Igreja não passará a grande tribulação na terra, então ela será tirada da terra sete anos antes da instauração do Reino do Messias. Esta interpretação se baseia no fato de que a partir do capítulo 4 do livro do Apocalipse não se menciona mais a Igreja na terra, pois acredita-se que nesse período ela estará no céu – Apocalipse 4:1 e 19:7,9.

O QUE FAZER PARA SER ARREBATADO

a) Ser um crente fiel e verdadeiro em Jesus Cristo (Sl 15 / Jo 14:21).
b) Ter uma vida de santidade (Hb 12:14 / I Pe 1:15-16).
c) Amar a Deus acima de todas as coisas (Lc 10:27).

O ARREBATAMENTO DA IGREJA PASSO A PASSO

a) Tudo ocorrerá num abrir e fechar de olhos (Lc 17:24).
b) Os anjos tocarão a trombeta avisando os santos do arrebatamento e somente os salvos em Cristo ouvirão soar da trombeta.
c) O Senhor Jesus descerá nas nuvens para se encontrar com a sua Igreja.
d) Os salvos que já morreram serão ressuscitados primeiros.
e) Uma vez ressuscitados, os anjos do Senhor recolherão os santos que ainda estão fisicamente vivos na terra (Mt 24:40-41) junto com os santos ressuscitados.

No arrebatamento seremos transformados em seres imortais e vamos receber um corpo glorioso (I Co 15:51-52). No céu não haverá distinção de cor, raça ou sexo, pois diante de Deus somos todos iguais e espírito não tem sexo (macho ou fêmea) e não se reproduzem.

Estamos no tempo chamado de “dispensação da graça”, por isso caberá ao Espírito Santo reunir e entregar a noiva do Cordeiro, nos ares. Ali veremos Cristo face a face.

Nos ares se dará o julgamento realizado pelo Tribunal de Cristo, o qual julgará as obras dos santos para fins de galardão (recompensa) e não para a condenação, haja vista que já foram arrebatados.

Saiba mais sobre obra, galardão e coroa em Is 40:10 e 1 Co 3:12-15.

TIPOS DE OBRAS:

a) Ouro (Justiça Divina) – A Melhor e mais valiosa obra que alguém pode fazer. Nada vale mais do que o ouro. Suporta o fogo, derrete e depois se torna uma linda jóia desejada por muitos.

b) Prata (Redenção) – Tem grande valor, mas não igual ao ouro, porém tem muita importância, pois é resistente ao fogo e quanto mais quente for a fornalha, mas reluzente a prata fica.

c) Pedras Preciosas (Testemunho Sólido) – São fortes, resistentes, bonitas, desejadas, mas não são de ouro e nem de prata. Porém terá o seu valor reconhecido pelo Senhor.

d) Madeira – Pode ser esculpida para parecer bela, mas não é resistente ao fogo. Pura aparência e enganação, porém não tem valor para Deus. Obra feita apenas para agradar e impressionar o homem.

e) Feno – É um capim guardado seco para servir de alimento para o gado. Se não nutre e nem dar consistência aos bois, quanto mais às ovelhas de Cristo!

f) Palha – Não serve para nada, inútil, é a pior categoria de obra, queima tão rápido que nem para alimentar o fogo serve, pois rapidamente se consumirá. É a obra feita de má vontade e de qualquer maneira.

Obs: Temos sempre que fazer o melhor possível para o Senhor e não fazer para os homens procurando obter recompensas fúteis nesta terra (Mt 6:1 / Jo 5:44). O dono da obra é o Senhor Jesus e ao seu devido tempo nos recompensará.

TIPOS DE COROAS

a) Coroa Incorruptível (A coroa do vitorioso) – E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, uma incorruptível (I Co 9:25).

b) Coroa de Justiça ( Coroa dos que aguardam a vinda de Cristo) – Desde agora, a coroa da justiça me está guardada, a qual o Senhor, justo juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amarem a sua vinda (II Tm 4:8).

c) Coroa da Vida (Coroa do Mártir) – Bem-aventurado o varão que sofre a tentação; porque, quando for provado, receberá a coroa da vida, qual o Senhor tem prometido aos que o amam (Tg 1:12 / Ap 2:10).

d) Coroa de Glória (Coroa do Pastor ou Mestre) – Não servirão por motivo de ganho desonesto e nem tentarão dominar a herança do Senhor. “E, quando aparecer o Sumo Pastor, alcançareis a incorruptível coroa de glória” (I Pe 5:4).

e) Coroa da Alegria (Coroa do Ganhador de Almas) – Portanto, meus amados e mui queridos irmãos, minha alegria e coroa, estai assim firmes no Senhor, amados. A coroa do ganhador de almas (Fp 4:1).

Uma vez todos reunidos, galardoados e coroados, Jesus nos levará aos céus e nos apresentará a Deus Pai (Adonai) e ouviremos: “Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o Reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” (Mt 25:34).

Ao entrarmos para as Bodas do Cordeiro, dar-se-á a grande festa que irá durar sete anos numa alegria sem fim para os salvos em Cristo Jesus que não andaram segundo a carne mais segundo o Espírito. Lá não haverá choro, tristeza ou dor e seremos consolados pelo Senhor (Ap 21:4).

No céu iremos encontrar os parentes e amigos que um dia se foram, os quais morreram salvos em Cristo. Veremos Abraão, Isaque, Jacó, todos os profetas e os heróis da fé, os apóstolos de Jesus, Maria, Isabel, Rute, Ester, Ana, Miriã e muitos outros personagens bíblicos.

O QUE É O CÉU

Existem três céus que são: (1) o céu dos homens (atmosfera); (2) o céu dos corpos celestes (Cosmos); (3) o céu dos céus, que é onde está o trono de Deus (2 Co 12:2 / Ne 9:6). Quando a Igreja for arrebatada, ela será levada para o céu dos céus, onde Deus está (Jo 14:1-3), pois é lá que ocorrerá a celebração das Bodas do Cordeiro.

O Céu fica em cima e não em baixo (At 1:9) / 2 Rs 2:11 / 2 Co 12:4), os crentes se conhecerão mutuamente no céu (Lc 16:19-31), as características pessoais serão mantidas (1 Co 13:12) e tudo que em nós falta será completado e tudo que em nós é deficiente será aperfeiçoado. O céu é um alivio para o crente (Ap 14:13 / Fp 1:21,23) e grande será o lucro para quem entrar no céu (Lc 10:20 / Fm 1:23 / Jo 14:3 / 2 Sm 12:23 / Mt 19:28 / Mt 5:4 / Sl 30:5 / Ap 21:4).

O QUE ACONTECERÁ NA TERRA DURANTE AS BODAS DO CORDEIRO

Acontecerão sete anos de grande tribulação e dor. Tempo igual a este nunca mais houve e depois jamais haverá (Dn 12:1 / Jl 2:2 / Mt 24:21). Será tempo de sofrimento extremo em que Satanás estará reinando sobre a terra e demônios perigosos que hoje estão presos no abismo do inferno, serão soltos para exterminar uma terça parte (1/3) dos homens da face da terra.

O Anticristo estará com plenos poderes e será contra o verdadeiro Cristo, o qual proibirá a todos, sob pena de morte de professarem a autêntica fé cristã. Aqueles que não possuírem a marca da “besta” (666) nas mãos ou na testa não poderão comprar ou vender. Porém todos os que receberem a marca da besta, nunca mais poderão entrar no Reino dos Céus.

O REINO MILENIAL DE CRISTO

Ao fim dos sete anos da “grande tribulação”, Cristo e seus santos (os arrebatados) aparecerão no monte das Oliveiras. Naquele dia, Cristo derrotará Satanás com o sopro de sua boca e o aprisionará juntamente com a morte e seus demônios no inferno, então se dará início ao Reino Milenial de Cristo o qual perdurará por mil anos. Será um período de paz e prosperidade qual nunca antes esta terra experimentou. Não haverá enfermidades, nem deformidades, os animais selvagens não atacarão os seres humanos, voltando assim todos os animais carnívoros a comer relva verde. Os homens voltarão a ter a idade das árvores, justiça, paz e prosperidade haverá durante o Reino Milenial de Cristo.

O JUÍZO FINAL

Após o Reino Milenial de Cristo, Satanás será solto e enganará os homens tentando pela última vez obter vitória sobre Cristo. Porém perderá mais uma vez e nesta última batalha será lançado no lago de fogo e enxofre, onde seu destino será selado.

O inferno é apenas uma sala de espera, onde as almas que morrem sem Deus vão para lá, onde aguardarão o juízo final. Segundo a Bíblia, o inferno é uma prisão feita para os demônios e não para o ser humano, mas todos aqueles que rejeitarem a Cristo irão para lá.

Aparecerá nos céus o Grande Trono Branco diante do qual todo o joelho se dobrará e toda a língua confessará que Jesus Cristo é o Senhor. Deus estará assentado neste trono e todos os salvos em Cristo estarão lá, vendo a condenação e o castigo recebido pelos ímpios. Diante do trono Branco, todos terão que comparecer: pobres e ricos, grandes e pequenos. O inferno dará os mortos que nele há, o mar dará os mortos que nele há e a terra dará os mortos que nela há. Mas todos os pecadores, desde o primeiro até o último, comparecerão diante de Deus. No Trono Branco, haverá livros e também o livro da Vida. E os mortos serão julgados pelas coisas que estão escritas nos livros, segundo as suas obras, recebendo assim a justa recompensa pelos seus atos.

A Bíblia nos revela que a morte, o inferno, Satanás e seus anjos, serão lançados no lago de fogo e enxofre, acompanhados de todos aqueles que amaram e cometeram a mentira e toda a sorte de impiedade.

NOVOS CÉUS E NOVA TERRA

Durante o Grande Juízo Final (Trono Branco), que ocorrerá nos ares entre o céu e a terra, o planeta terra estará sendo purificado pelo fogo. Pedro relata que os “elementos” ardendo se desfarão por causa do calor abrasador (2 Pe 3:7-10). A terra será purificada de sua imundície e do seu pecado, porém com Deus tudo se renova ele é o Criador de todas as coisas. “E vi um novo céu e uma nova terra. Porque já o primeiro céu e a primeira terra passaram, e o mar já não existe (Ap 21:1)”. Note que no renascimento da nova terra, o mar não existirá. Isto é para confundir toda a ciência humana que afirma que para existir vida em um planeta, tem de haver água. “E eu, João, vi a Santa Cidade, a nova Jerusalém, que de Deus descia do céu, adereçada como uma esposa ataviada para o seu marido” (Ap 21:2).

CONCLUSÃO

Não importa a luta que passamos para entrar no Reino dos Céus, pois sabemos que o ímpio recebe o seu galardão aqui na terra, enquanto o justo receberá o seu galardão nos céus, embora possa ser recompensado pelo Senhor, ainda nesta vida. Porém acumular riquezas nesta terra não deve ser objetivo de vida. O importante é reconhecermos que estamos de passagem por esta terra e que tudo o que fazemos ou que deixamos de fazer, iremos prestar contas a um que á maior e mais poderoso do que nós e que é Senhor de Tudo.

“Eis que venho sem demora; guarda que tens, para que ninguém tome a tua coroa” (Ap 3:11).

Pr.Bezaleel

Pastor, teólogo e pai de família.