Arrependa-se e volte-se para Deus.

“converte-te a teu Deus, guarda o amor e o juízo e no teu Deus espera sempre” Oséias 12.6.

Introdução.

Você conhece a Deus? A ignorância não é uma bênção. Em Deus sabemos quem somos, qual o nosso propósito e para onde vamos. Sem ele estamos perdidos. E, nesses tempos difíceis, ele tem convidado à humanidade a busca-lo de todo o coração para que viva e desfrute da sua graça e do seu amor. Os que ouvirem-no receberão o perdão incondicional dos seus pecados, serão feitos seus filhos e terão a vida eterna como recompensa para que vivam ao seu lado para sempre.

1) Conversão a Deus.

a. Deus – A Bíblia apresenta Deus como o Senhor Todo Poderoso e o Criador de todas as coisas, a fonte da vida, Senhor de tudo e de todos. O evangelista João declarou que “todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez” (Jo 1:3), o que também foi confirmado pelo apóstolo Paulo quando declarou “Porque dele, e por ele, e para ele são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém!” (Rm 11:36).

Deus é perfeito e tudo o que ele faz é bom. Vejam… quem é a fonte da vida? Quem é a fonte do amor? Quem criou a beleza e a perfeição? Quem dá a sabedoria e o entendimento? Deus. Como não amá-lo? Como não adorá-lo? Enfim, Deus é bom o tempo todo. Observamos a sua obra quando estudamos a biologia, química, matemática, física e etc. O conhecimento de Deus está em todo lugar que possamos olhar e observar. Não há como negar isso!

Um Deus tão perfeito assim estabeleceu regras, leis, parâmetros para toda obra de suas mãos. Opor-se a estes princípios é um erro, um pecado contra Deus (todo pecado é contra Deus) e está escrito que a recompensa pelo pecado é a morte (Rm 6:23). A morte é o resultado da justiça divina, por isso, sempre que um ente querido nosso morre, devemos refletir quão grave foi o pecado do homem diante de Deus.

b. O afastamento de Deus – As Escrituras Sagradas afirmam que o pecado surgiu no céu através de Lúcifer, o qual através da mentira enganou um terço dos anjos promovendo uma revolta contra Deus. O resultado não poderia ser outro: expulsão do céu e o surgimento do inferno como prisão para os anjos rebeldes. Mas, por razões que só a Deus pertence, Lúcifer continuou solto, perambulando entre a terra e o inferno. E, com a permissão de Deus, entrou no Jardim do Éden para tentar Adão e Eva, usando da mesma tática que usou com os anjos caídos, através da mentira colocou a humanidade contra o Criador. Jesus declarou que o diabo (Lúcifer) é o pai da mentira: “Vós tendes por pai ao diabo e quereis satisfazer os desejos de vosso pai; ele foi homicida desde o princípio e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele; quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso e pai da mentira” (Jo 8:44).

Depois da queda do homem a humanidade passou a ter uma forte inclinação para o erro, sendo atraída por tudo aquilo que entristece o Criador. Ela é escrava dos desejos e para saciá-los é capaz de passar cima de qualquer um que atravessar o seu caminho. Tiago declarou: “Donde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura, não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam?” (Tg 4:1).

c. Arrependimento – O Senhor nos convida e refletir se os nosso proceder está correto e dentro dos seus padrões de santidade e pureza. Isaías 35:8, diz: “E ali haverá um alto caminho, um caminho que se chamará O Caminho Santo; o imundo não passará por ele, mas será para o povo de Deus; os caminhantes, até mesmo os loucos, não errarão”. Deus nos convida a andar no caminho da sua santidade, pois o perdão para toda a humanidade ele liberou na cruz através do sacrifício de amor do Senhor Jesus. Todo aquele que aceita este sacrifício tem o completo perdão dos seus pecados e é declarado justo diante de Deus: “havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz” (Cl 2:14). O apóstolo João declarou: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3:16). Ele também nos advertiu que “Aquele que crê no Filho tem a vida eterna, mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece” (Jo 3:36).

O homem precisa voltar-se para Deus depressa, refletir sobre a sua conduta, abandonar a vida de pecado e viver uma nova vida em Cristo. 2 Coríntios 5:17 “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”. A palavra de Deus para a humanidade é: arrependam-se!

2) Guardar o Amor. No céu existe uma comunidade de anjos, querubins, serafins e etc. Eles não se traem, não se matam, não cobiçam, não mentem e o índice de criminalidade no céu é zero desde que satanás foi expulso. O Senhor Jesus prometeu aos seus fiéis na terra que os levará para morar no céu: “Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito, pois vou preparar-vos lugar. E, se eu for e vos preparar lugar, virei outra vez e vos levarei para mim mesmo, para que, onde eu estiver, estejais vós também” (Jo 14:1-3). Portanto, ele só levará pecadores arrependidos, que decidiram parar de errar, que odeiam o erro, que são radicais contra o pecado. Enfim, pessoas que produzem os frutos do arrependimento, entre eles o amor (Mateus 3:8 “Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento”).

João 14:21 “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, este é o que me ama; e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele”. João 15:12 “O meu mandamento é este: Que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei”. Está claro que a prática do amor a Deus e ao próximo é a marca do verdadeiro cristão. Veja o que Paulo diz sobre o amor: “O amor é paciente, é benigno; o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta” (1 Co 13:4-7 ARA). Ame incondicionalmente a todos demonstrando a sua gratidão a Deus, porque Ele te perdoou, te salvou e vive em você. “Amados, amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. Aquele que não ama não conhece a Deus, pois Deus é amor” (1 João 4:7-8).

3) Guardar o juízo. O juízo aqui se refere à palavra de Deus, suas leis e suas promessas: “Desvia de mim o opróbrio que temo, pois os teus juízos são bons” (Sl 119:39). A palavra de Deus é vida: “O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida” (João 6:63). “Na verdade, na verdade vos digo que quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou tem a vida eterna e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida. Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam” (João 5:24,39).

Precisamos amar a Palavra de Deus, respeita-la, e praticá-la com toda a dedicação. Que valor há em conhecer as Escrituras e não praticá-la? É adquirir conhecimento para a própria condenação. Salmos 119:11 “Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti”. Se a palavra de Deus é poderosa para criar mundos (Hb 11:13), o que ela fará na vida daquele que a amar e obedecer?

4) No teu Deus espera sempre – Vivemos em um mundo onde as pessoas estão ansiosas, impacientes e estressadas. A paz de muitos foi roubada trazendo consigo a angústia, a falta de fé, a desconfiança, a insegurança, o desamor, o desespero e etc. Satanás que atua no mundo tem interesse em manter essa correria do mundo moderno, onde em nome do amor ao dinheiro e as riquezas (seja por necessidade ou não), filhos crescem com carência dos pais, o divórcio se multiplica, as batalhas nos tribunais se multiplicam e alguns para fugir dessa dura realidade correm para as drogas. Jesus declarou que não podemos amar a Deus e as riquezas (Mamom): “Ninguém pode servir a dois senhores, porque ou há de odiar um e amar o outro ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom” (Mateus 6:24).

Esperar em Deus não nos impede de trabalhar: “Porque, quando ainda convosco, vos ordenamos isto: se alguém não quer trabalhar, também não coma” (2 Ts 3:10). Mas, confiar que ele é o Deus da providência e irá prover todas as coisas que precisarmos: “buscai, pois, em primeiro lugar, o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33) e “Não vos assemelheis, pois, a eles; porque Deus, o vosso Pai, sabe o de que tendes necessidade, antes que lho peçais” (Mateus 6:8). “Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam; mas ajuntai para vós outros tesouros no céu, onde traça nem ferrugem corrói, e onde ladrões não escavam, nem roubam; porque, onde está o teu tesouro, aí estará também o teu coração” (Mt 6:19-21).

Acalma o teu coração, espera no Senhor e confia nele. Deus te dará o que você precisar e não o que você acha que precisa. Salmos 42:5 “Por que estás abatida, ó minha alma? Por que te perturbas dentro de mim? Espera em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu auxílio e Deus meu”. Medite também no Salmo 46.

Conclusão

O apóstolo Pedro declarou: “Amados, exorto-vos, como peregrinos e forasteiros que sois, a vos absterdes das paixões carnais, que fazem guerra contra a alma” (1 Pedro 2:11). É tempo de nos arrependermos e nos voltarmos para Deus de todo o coração, praticarmos o amor incondicional, guardar os mandamentos e juízos divinos e termos total confiança em Deus de que ele irá suprir todas as nossas necessidades. Não devemos nos esquecer de que o arrependimento dos pecados é diário e confiar no amor e perdão divino demonstrado na cruz do Calvário. Ninguém vai entrar no céu por méritos próprios, mas pela fé no sacrifício do Salvador.

Pr.Bezaleel

Pastor, teólogo e pai de família.