A Santificação do crente

A santificação é um processo lento, gradativo e constante, realizado pelo Espírito Santo na vida do crente. Nas duas primeiras lições deste curso, aprendemos que o homem foi feito a imagem e semelhança (caráter) de Deus e que perdeu esta identidade quando pecou, passando a ser a imagem do pecado. Deus quer que voltemos a ser a sua imagem e semelhança. Isso exige uma reeducação de caráter e de princípios, teremos de brigar contra a nossa natureza que foi corrompida pelo vírus do pecado que habita em nós. Está é a pior guerra para o homem: a luta contra si mesmo.

A trindade humana

Da mesma maneira em que vimos que Deus é trino (trindade), nós, os seres humanos, somos também uma trindade formada por corpo, alma e espírito. Os animais não são uma trindade, pois são compostos de apenas corpo e alma.

O corpo veio do pó da terra e para o pó retornará (Gn 3:19). O seu papel na trindade é de escravo, não tem controle de si mesmo. O corpo é totalmente submisso e mortal.

A alma é todo o nosso sentimento. Os olhos são a janela da alma, a alma é quem controla os cinco sentidos humanos (olfato, paladar, visão, tato e audição). O corpo não sente dor, quem sente é a alma. O corpo não pode enxergar, quem enxerga através do corpo é a alma e etc. O corpo é uma espécie de cápsula da alma e do espírito. A alma é imortal e é inclinada para as coisas do mundo. Quando a Bíblia fala da morte da alma, fala no sentido espiritual (Ez 18:4).

O espírito do homem é inclinado para as coisas de Deus. Representa a razão em contrastes com as emoções da alma. O espírito tem sede de Deus, pois veio de Deus (Gn 2:7) e para Deus quer retornar. A palavra “homem” quer dizer “aquele que olha pra cima”.

Paulo escreveu que dentro dos ser humano, existem dois leões que brigam diariamente para que a sua vontade prevaleça sobre a do outro, que são a alma e o espírito. Se você fortalecer o seu espírito, ele governará a sua alma e por consequente o corpo. Você fará as coisas que agradam a Deus. Por outro lado, se você fortalecer a sua alma, ela se inclinará para o pecado e fará com que o espírito e o corpo cometam pecados maiores. Pois a Bíblia diz que o salário do pecado é a morte (Rm 6:23). Faz-se necessário que o cristão priorize urgente o seu espírito.

A regeneração

Quando aceitamos a Cristo como nosso único e suficiente Salvador, somos perdoados, lavados no sangue do Cordeiro e feitos uma nova criatura, gerados de Deus (2 Co 5:17). Como nova criatura e regenerados pelo Espírito de Deus somos santos e com acesso pleno à Deus (Tt 3:5). O Espírito de Deus trabalha em nosso interior nos ensinando que temos de abandonar a vida dissoluta do pecado e nos aproximarmos de Deus, através da santificação.

A Bíblia diz que Deus é santo e exige do seu povo santidade (Lv 20:7).

Santidade = pureza / Santo = Puro

A santificação – Uma ovelha que se perde do rebanho volta cheia de carrapicho e precisa ser tratada. O homem quando vem do mundo de pecado, chega cheio de impurezas que fica em sua lã e precisa ser limpo. Um pastor de ovelhas escova a lã, a fim de deixá-la limpa e Jesus é o bom pastor (Jo 10:14).

Existem pecados que trazemos do mundo dos quais relutamos em deixar. Às vezes o cristão os leva por anos a fio, sem querer abandoná-los. Os casos mais comuns são: vícios de um modo em geral, a mentira, a prostituição e etc. Precisamos ser diferentes do mundo, pois somos novas criaturas, por isso não podemos comportar-nos como o velho homem.

Em Apocalipse 22:11, o Senhor nos avisa: “quem é santo, santifique-se mais ainda e quem é sujo, se suje mais ainda”. Não existe meio termo, ou você deseja ser uma nova criatura ou então mergulha no pecado de vez. Entenda que o processo completo da libertação, dificilmente acontece do dia pra noite e na maioria dos casos demora-se um bom tempo. Mas o crente tem que desejar e buscar ser uma nova criatura.

Não recomendamos o abandonar dos vícios de uma só vez, mas gradativamente até que não se encontre mais nenhum vestígio do velho homem. Porem Deus e poderoso para operar uma libertação completa e imediata.

Davi certa vez perguntou ao Senhor quem habitaria no seu tabernáculo? E a resposta foi: Aquele que anda em sinceridade, e pratica a justiça, e fala verazmente segundo o seu coração; aquele que não difama com a sua língua, nem faz mal ao seu próximo (Sl 15).

Pureza – Pureza no pensamento, no falar, no agir… Tudo é puro para os puros (Tt 1:15). Não podemos corrigir os outros se em nós há impurezas. Fique naquela palavra do mestre: “não julgueis para que não sejais julgados” (Lc 6:37 / Jo 7:24). Quem tem a responsabilidade de doutrinar a Igreja é o pastor, pois é ele quem vai responder diante de Deus pelo rebanho que lhe foi confiado (Hb 13:17).

É da vontade de Deus que o crente seja santo (1 Ts 4:3). Deus nos chamou para a santificação (I Ts 4:7 / Rm 1:7 / I Pd 1:15-16). Note que a santificação não é opcional, ela é obrigatória para aqueles que querem entrar no céu e contemplar a Deus face a face.

Deus nos santifica pela Palavra, pelo Sangue de Cristo e pelo Espírito Santo (Hb 13:12 / Sl 119:9 / Rm 15:16; 8:2 / 1 Pd 1:2).

Para muitos, ser santo em nossos dias é muito difícil, por causa da libertinagem, da sedução explicita, do explosão do erotismo ao nosso redor (seja na rua, na tv, nos rádios, nas escolas, no trabalho, na internet e até mesmo dentro dos templos), das facilidades da corrupção e etc… Mas é aí que está o x da questão, para ser santo não precisamos viver trancados ou refugiados no quarto da casa. Deus quer que demos testemunhos a este mundo de que ainda existem santos na terra, de que a Igreja santa, perfeita e imaculada de Jesus ainda está pregando o evangelho sobre a terra (Hb 11:38).

Leia e medite:

Gn 5:24 / 2 Rs 2:11 / 2 Tm 2:22 / Tg 4:7 / 1 Co 6:18 / Mt 26:41 / Hb 11 / 1 Jo 4:4 / 1 Jo 2:14.

Pr.Bezaleel

Pastor, teólogo e pai de família.